Home > Saúde > Tipos de vírus Ebola, diagnóstico, prevenção e tratamento

Tipos de vírus Ebola, diagnóstico, prevenção e tratamento

vírus ebolaNos últimos meses muito se tem falado sobre o vírus Ebola, e sobre os riscos de que uma epidemia desta doença possa afetar pessoas em todo mundo, em especial aqui no Brasil.

E embora o vírus Ebola seja um dos mais agressivos que a humanidade já presenciou, é importante que saibamos mais informações sobre a doença, para que possamos ficar alertas aos riscos que ela pode apresentar.

Existem algumas informações importantes sobre o que é o vírus Ebola, sua forma de contágio, seus principais sintomas e quais os tratamentos disponíveis para combater a doença. Vamos conferir:

O vírus Ebola

O Ebola é um tipo de vírus, que tem como principal sintoma a febre hemorrágica, que pode causar hemorragias nos órgãos internos dos pacientes infectados, e que em muitas vezes pode levar o paciente a morte (cerca de 90% dos casos segundo a Organização Mundial da Saúde).

Este vírus é nativo da África, e foi descoberto no ano de 1976, na região próxima do rio Ebola, na Republica Democrática do Gongo, de onde vem seu nome de origem. E suas primeiras amostras foram detectadas em macacos, chimpanzés e outros primatas que viviam pela região.

Transmissão do vírus Ebola

Embora o vírus tenha sido encontrado em primatas, hoje se acredita que o principal hospedeiro do vírus Ebola é o morcego, que não manifesta os sintomas do vírus, mas é o provável transmissor da doença para outros animais. Esta transmissão acaba acontecendo quando o morcego come alguma frutinha, e os restos da fruta caem pelo chão, sendo comidas posteriormente por outros animais, que ficam contaminados com a doença.

E o contágio no ser humano pode acontecer quando ele entra em um local aonde há incidência do morcego infectado, ou quando entra em contato com fluídos corporais de um animal ou mesmo de uma pessoa que tenha sido infectada, dentre os quais o sangue, a saliva, o sêmen, o vômito, a urina ou as fezes.

Vale ressaltar também que o risco de contágio é grande em regiões com relatos confirmados dos casos, e pode acontecer principalmente em pessoas que cuidam dos doentes, como médicos, equipes de enfermagem e familiares dos pacientes afetados.

Tipos de vírus Ebola existentes

O vírus Ebola pode ser subdividido em seis cepas (linhagem do vírus), que possuem nomes de acordo com os locais do surto inicial da doença:

1. Ebola-Bundibugyo;
2. Ebola-Costa do Marfim;
3. Ebola-Reston;
4. Ebola-Sudão;
5. Ebola-Zaire.

Todas as cinco cepas são capazes de infectar humanos, mas não existem casos relatados de que o Reston já tenha causado alguma enfermidade ou morte em pacientes infectados.

Já a sexta cepa foi descoberta recentemente, na República Democrática do Congo, e seus casos ainda estão sendo estudados.

Sintomas do vírus Ebola

Em sua fase inicial, o vírus Ebola apresenta sintomas semelhantes aos do vírus da gripe, sendo eles:

• Febre repentina;
• Fraqueza no corpo;
• Dor muscular;
• Dores de cabeça;
• Garganta inflamada.

Posteriormente, em um período de até 21 dias, outros sintomas mais sérios podem aparecer, dentre eles:

• Vômitos;
• Diarreia;
• Coceiras;
• Queda das funções renais e hepáticas;
• Hemorragia interna e externa;
• Erupções cutâneas;
• Inchaço nos órgãos genitais;
• Olhos avermelhados;
• Dores no peito;
• Soluços;
• Dificuldade de engolir e até de respirar.

Diagnóstico do vírus Ebola

O diagnóstico dos pacientes que tiveram contato com vírus Ebola é extremamente difícil, devido ao fato dos sintomas inicias desta enfermidade são bem parecidos com o de outras doenças, como cólera, hepatite, malária ou febre tifoide.

Com isso, havendo alguns dos sintomas iniciais a suspeita do diagnóstico inicial pode ser realizado pelo clínico geral, pelo médico infectologista ou mesmo por um profissional da enfermagem.

Posteriormente exames específicos para detecção do vírus devem ser realizados. E cada um destes exames é feito em um centro de pesquisas diferenciado, aonde os profissionais de pesquisa trabalham com equipamento de proteção adequada, devido ao risco alto de infecção que o vírus Ebola oferece.

Tratamento do vírus Ebola

Ainda não existe uma cura definitiva para o vírus Ebola, mas existem diversos tratamentos que ajudam a amenizar os sintomas da doença, dentre eles:

1. Oxigenoterapia;
2. Transfusão de sangue;
3. Medicamentos para alivio das dores;
4. Hidratação endovenosa;
5. Medicamentos para diminuição da pressão sanguínea.

E após a pessoa ficar curada dos sintomas do vírus, seu sistema imunológico adquire resistência ao Ebola, e com isso ela pode voltar a ter contato com outras pessoas sem maiores riscos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*